Iniciativa Caminhos da Semente realizou primeiro curso EAD para coletores

Imagem: Allf Lima

Iniciativa Caminhos da Semente realizou primeiro curso EAD para coletores

21/07/2021

A Iniciativa Caminhos da Semente, que tem objetivo de promover a restauração ecológica com o método da semeadura direta no Brasil, realizou o primeiro curso “Coleta de sementes para restauração do Bioma Cerrado” em formato ensino a distância (EAD). O curso, que foi realizado por meio de 6 videoaulas e duas aulas ao vivo para esclarecimento de dúvidas, incluindo materiais técnicos de apoio e testes, contou com quase 1.000 alunos, de todos os estados.

O conteúdo foi desenvolvido com base nas experiências de coletores das Rede de Sementes do Cerrado, Rede de Sementes do Xingu, Cerrado de Pé e apoio técnico do Instituto Socioambiental (ISA) e WWF. De acordo com Abílio Vinicius Barbosa, Analista de Conservação da WWF, “a coleta de sementes é fundamental para a restauração do Cerrado, de forma que ele volte a cumprir as suas funções ecossistêmicas ambientais para a sociedade e para a própria natureza”.

Para Camila Motta, Diretora Presidente e Gerente Técnica de Projetos da Rede de Sementes do Cerrado, o curso teve como objetivo capacitar e ampliar o conhecimento das pessoas a respeito da coleta de sementes e do funcionamento da cadeia produtiva de sementes para a restauração ecológica: “É muito importante que o coletor de sementes tenha conhecimento da cadeia como um todo, para que ele possa atuar nessa atividade sabendo que não é apenas a coleta de sementes em si, existe todo um processo que vai desde o planejamento até a entrega de sementes, garantindo a rastreabilidade e qualidade da sementes”, afirma.

Com intuito de oferecer uma visão geral sobre botânica e ecologia aplicada ao planejamento, coleta, beneficiamento e armazenamento de sementes para restauração, especialistas e coletores profissionais desenvolveram junto com equipe da Agroicone um conteúdo inédito em formato EaD. “Esse tipo de curso é muito importante para formação de novos coletores, ainda mais diante do cenário pandêmico que estamos vivendo, onde o distanciamento social é fundamental para diminuir casos de Covid-19 e salvar vidas. Como a coleta de sementes é realizada na maioria dos casos de forma individual ou no núcleo familiar, a formação vem também para fortalecer essa alternativa de renda que valoriza o Cerrado em pé”, afirma Bruna Ferreira, Coordenadora Executiva da Associação Rede de Sementes do Xingu.

A atividade de coleta de sementes é muito importante para o sucesso da recuperação de vegetação nativa, pois é insumo base para produção de mudas e para restauração com semeadura direta. “O conhecimento e as boas práticas do coletor têm resultado direto na qualidade das sementes e no posterior sucesso da restauração, por isso é tão importante uma formação para coletores. Além disso, destacamos a fundamental contribuição do trabalho coletivo, em especial das redes de sementes, para apoiar a comercialização”, explica Laura Antoniazzi, sócia da Agroicone que trabalhou no projeto.

portfoliohttps://www.agroicone.com.br/wp-content/uploads/2021/07/Sem-título.jpg
Compartilhe