Plano Safra 2021/2022 fortalece Programa ABC e sinaliza avanço para a agricultura sustentável

18/08/2021

As tecnologias agropecuárias de baixa emissão de carbono foram priorizadas no Plano Safra 2021/2022, com orçamento de R$ 5,05 bilhões ao Programa ABC (Programa para Redução de Emissão de Gases de Efeito Estufa na Agricultura), o que representa um aumento de 101% em relação ao período anterior.

A Agroicone vem trabalhando nos últimos quatro anos, a partir de diversos estudos com base em evidências, com apresentação de propostas aos formuladores da política pública visando aperfeiçoar o financiamento das tecnologias e práticas que promovem sustentabilidade e resiliência no campo. Essas propostas são desenvolvidas a partir de diálogos com o setor e colaborações com a Força-Tarefa de Finanças Verdes do Fórum de Diálogo de Agropecuária e Silvicultura da Coalizão Brasil Clima, Florestas e Agricultura.

Na avaliação de Leila Harfuch, sócia-gerente da Agroicone que coordenou os estudos, houve diversos aprimoramentos alinhados com as propostas enviadas. “Uma delas foi a harmonização entre os programas do Plano Safra. Ativos fixos referentes a suíno e aviculturas, que, antes, eram financiados pelo Moderagro, foram para o Inovagro, por exemplo. Para o ABC, migrou o financiamento para manejo dos solos. Teve início, também, a discussão das notas técnicas dos recursos dos Fundos Constitucionais. O Plano Safra não define essa questão, que é responsabilidade dos Conselhos Deliberativos de cada região, mas houve incentivo via Fundos Constitucionais para práticas sustentáveis e para adequação ao Código Florestal. Esse é um ganho importante, em especial nas regiões de fronteira agropecuária”, afirmou Leila em entrevista ao Boletim da Coalizão Brasil.

Leila destacou também a novidade desse Plano Safra, trazida pelo direcionamento de recursos obrigatórios (depósitos à vista) para o Programa ABC, além de dobrar o volume de recursos para o Programa. “Com as mudanças, os bancos privados não se limitam mais a operar o ABC com recursos do BNDES, tendo, assim, a operacionalização facilitada”, afirmou.

Leila a entrevista.

Compartilhe