A catástrofe alimentar global

28/07/2022

A urgência de uma resposta multilateral efetiva diante da iminente crise alimentar global foi reconhecida pelos líderes da Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO), Organização Mundial do Comércio (OMC), Banco Mundial, Fundo Monetário Internacional e World Food Programme.

Acontecimentos como a guerra entre Rússia e Ucrânia, a pandemia de COVID-19, a interrupção das cadeias de suprimentos internacionais, as migrações e os impactos das mudanças do clima catalisaram o enfraquecimento dos sistemas alimentares.

O mundo enfrenta o desafio de fomentar a disponibilidade de alimentos seguros, tendo como premissa o aumento da produção e a liberdade de comércio como fatores basilares.

Em artigo para a Agência Estado, o sócio-diretor da Agroicone, Rodrigo C. A. Lima, analisa dados divulgados por essas organizações sobre segurança alimentar e os caminhos possíveis para aumentar a produção e o acesso aos alimentos. “A coexistência entre sistemas produtivos deve ser a tônica, passando pela intensificação sustentável da agropecuária e pela promoção da agroecologia”, acredita Rodrigo.

Leia o artigo.

Compartilhe