Parceria entre Brasil e China para Agricultura e Segurança Alimentar é tema de livro

Parceria entre Brasil e China para Agricultura e Segurança Alimentar é tema de livro

04/06/2020

Agroicone escreveu capítulo sobre sustentabilidade da agricultura brasileira para publicação das universidades ESALQ/USP e China Agricultural University (CAU), sobre os setores agroalimentares e a cooperação entre os dois países.

O Brasil e a China assumiram protagonismo no comércio internacional, posicionados entre os quatro maiores produtores e exportadores mundiais da agropecuária e indústria de alimentos. China e Hong Kong formam o primeiro mercado importador agrícola do mundo e também são o principal mercado da exportação brasileira de produtos agrícolas e de alimentos, representando 34% desse total com o montante de US$ 33 bilhões anual. A parceria entre os dois países também se vincula a uma reciprocidade entre a oferta da produção brasileira e a demanda do mercado chinês, que teve início na década de 1970 e caracterizou-se, por um lado, pela crescente industrialização e avanço tecnológico da China, com abertura para importações como soja, algodão e carne, e por outro lado, pelas inovações e incremento produtivo da chamada “revolução agrícola tropical” no Centro-Oeste e Cerrado brasileiros.

Os novos desafios de sustentabilidade, sanidade e segurança alimentar demandam que os dois países adotem um planejamento estratégico do comércio bilateral, com uma nova responsabilidade de cooperação em relação aos anos anteriores. Serão necessários mais investimentos em pesquisa e inovação para o incremento do comércio com segurança para a saúde humana e animal e conservação do meio ambiente. Como universidades que lideram em seus países a pesquisa em agricultura e alimentação, a Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz” (ESALQ/USP) e a China Agricultural University (CAU) publicam, como resultado do trabalho de colaboração durante um ano liderado por professores, o livro “China-Brazil – Partnership on Agriculture and Food Security”.

Os sócios e pesquisadores da Agroicone, o advogado Rodrigo C.A. Lima e a engenheira agrônoma Laura Antoniazzi, são autores do capítulo “Sustentabilidade na agricultura brasileira: principais desafios e possíveis colaborações com a China”. Na primeira parte, os autores apresentam desafios socioambientais, como a pobreza e desigualdade, e a importância de políticas públicas para o apoio da agricultura familiar. Na segunda parte, os autores analisam as ações governamentais para mitigação climática na agricultura, incluindo a importância do Plano ABC – Agricultura de Baixa Emissão de Carbono, implementação do Código Florestal e outras iniciativas para conservação ambiental e agricultura sustentável. Na terceira parte, os autores apresentam algumas oportunidades para impulsionar a relação entre os dois países com benefícios socioambientais mútuos.

Laura Antoniazzi, que visitou a China junto com outros autores para conhecer os colegas chineses e algumas experiências de agricultura do país, acredita em oportunidades de cooperação para avançar na agenda de sustentabilidade. “Cada vez mais o mercado internacional está preocupado em garantir que a produção esteja vinculada com a conservação ambiental e desenvolvimento social, e o comércio com a China já vem incorporando essas exigências do novo consumidor”, afirma Laura.

Por outro lado, a atual pandemia que o mundo enfrenta deixa claro que o agronegócio deve considerar riscos sanitários e das mudanças do clima. “O Brasil tem políticas públicas reconhecidas pela sua importância para o incentivo às práticas sustentáveis, como é o caso do Plano ABC, e a nova realidade demanda que esses investimentos sejam cada vez mais prioritários”, observa Rodrigo.

Os editores são Marcos Sawaya Jank, titular da Cátedra Luiz de Queiroz de Sistemas Agropecuários Integrados da ESALQ/USP no ciclo 2019-20, ao lado de Pei Guo, diretor do Institute for Agricultural e-Commerce Studies, do College Of Economics and Management, da China Agricultural University (CAU), e Silvia Helena Galvão de Miranda, professora do departamento de Economia, Administração e Sociologia da Esalq/USP e vice-coordenadora do Cepea.

O livro cobre a história recente da relação bilateral no setor agrícola e de alimentos em uma diversidade de aspectos. Os textos organizam-se por seis grandes temas, todos analisados tanto na perspectiva do Brasil quanto da China, totalizando 12 capítulos. Os autores abordam questões como evolução dos setores agrícola e de alimentos; segurança alimentar; investimento em inovação e bioenergia; cooperação para infraestrutura; perspectivas do comércio bilateral e os desafios para a sustentabilidade. Os prefácios são dos reitores e diretores das universidades (USP, CAU, ESALQ e CEM), prefácios do primeiro titular da Cátedra Luiz de Queiroz, Roberto Rodrigues, do ex-diretor geral do International Food Policy Research Institute (IFPRI) e atualmente professor na China Agricultural University (CAU), Shenggen Fan, e um posfácio de Marcos Sawaya Jank.

 

A versão digital está disponível para download aqui.

Confira como foi a live de lançamento do livro.

 

portfoliohttp://www.agroicone.com.br/wp-content/uploads/2020/06/capa-e1591285103814.jpg