Análise socioeconômica e ambiental da produção de etanol de milho no centro-oeste brasileiro

Análise socioeconômica e ambiental da produção de etanol de milho no centro-oeste brasileiro

01/06/2018

AUTORES
Marcelo M. R. Moreira, Sofia Marques Arantes

A produção de etanol de milho no Brasil chama a atenção pela velocidade de expansão e pelos volumes de investimentos. A tecnologia ainda é uma novidade em solo brasileiro cujos impactos são pouco conhecidos.

Seguindo essas premissas, o policy brief apresentado teve como objetivo analisar os impactos socioeconômicos, as emissões de Gases de Efeito Estufa (GEE) e uso da terra da implantação da indústria de etanol de milho no Centro Oeste brasileiro, tendo como referência o caso concreto de uma indústria autônoma instalada em Mato Grosso (MT).

Em linhas gerais, os resultados permitem a conclusão de que a indústria de etanol de milho tem grande potencial para gerar renda e emprego no estado de MT e no Brasil. Ao mesmo tempo, a análise de ciclo de vida evidencia um potencial importante para a redução de emissões de GEE quando comparado com gasolina e até mesmo com etanol de milho dos EUA. Em particular, quando considerado o aspecto de mudança de uso da terra, são ressaltadas especificidades de agricultura no centro-oeste brasileiro pouco compreendidas na literatura internacional. Há, portanto, evidências suficientes para recomendar o fomento da indústria de etanol de milho no Brasil nas condições avaliadas neste estudo.

Downloads
Policy Brief: Guia do Programa de Regularização Ambiental (PRA) e Licenciamento Ambiental no Pará